aaa

Alterações climáticas

"Enquanto alpinista de alta altitude, vi os efeitos de um clima mais quente em primeira mão."

-Conrad Anker, Alpinista e Atleta Global The North Face

“As rotas estabelecidas como escaladas glaciais derreteram. O recuo dos glaciares deixaram a descoberto faixas de resíduos, e cumes que se mantinham juntos por gelo permanente estão a derreter. Os Himalaias serão afetados por clima mais quente nas próximas décadas. À medida que os seus 5.000 glaciares derreterem, os rios que descem das montanhas deixarão de ser perenes e tornar-se-ão sazonais, ameaçando o abastecimento de água de um quinto da população mundial que recebe água proveniente dos Himalaias.

A The North Face está empenhada em reduzir a sua pegada de carbono. Das instalações solares nas nossas instalações às práticas de poupança de energia nas nossas fábricas têxteis, estamos constantemente à procura de maneiras de reduzir o nosso impacto. É mais do que "fazer a coisa certa" - é o legado da nossa marca ".

– Conrad Anker, Alpinista e Atleta The North Face

The North Face permite aos exploradores superar os seus limites, para que possam sentir a adrenalina e alegria do desconhecido. Sabemos que 97% dos cientistas especializados em alterações climáticas concordam que estas alterações são causadas por humanos e têm um efeito adverso no planeta. Crescemos com uma admiração pela natureza. Proteger os locais onde gostamos de nos divertir faz parte da nossa história. Enfrentar as alterações climáticas beneficia não só o planeta mas também os negócios. Os nossos atletas atravessam algumas das zonas mais remotas no planeta e sentiram na pele os efeitos das alterações climáticas. Os glaciares estão recuar e o solo permanentemente gélido está a derreter. A época de esqui de inverno está a mudar dramaticamente e, pela primeira vez, eventos como tempestades, fogos e cheias ocorrem frequentemente.

PROTEÇÃO DO CLIMA

"Acreditamos que o sucesso do nosso negócio está fundamentalmente ligado a um planeta saudável".

-Todd Spaletto, Presidente, The North Face

Com mais de quatro décadas no negócio de retalho das atividades ao ar livre, temos uma visão de longo prazo sobre as nossas prioridades empresariais e ambientais. Em 2009, juntámo-nos a outras empresas voltadas para o futuro na Ceres Business for Innovative Climate and Energy Policy (BICEP), uma aliança que defende políticas progressistas em matéria de alterações climáticas. Através da VF Corporation, a nossa empresa-mãe, apresentamos relatórios informativos junto do Carbon Disclosure Project para divulgar os nossos esforços e apoiar o desejo dos nossos acionistas de uma maior transparência.

Fomos um dos 33 signatários iniciais da Declaração Sobre o Clima, em 2013, incitando os decisores políticos federais a abordar as alterações climáticas. Em abril de 2014, 750 empresas tinham assinado a Declaração, demonstrando aos decisores políticos que a comunidade empresarial dos EUA está preparada para políticas abrangentes em matéria de alterações climáticas.

Em dezembro de 2015 publicámos um artigo intitulado: “WASHINGTON MUST ACT ON CLIMATE CHANGE,” (WASHINGTON NÃO PODE IGNORAR AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS), pedindo uma resposta significativa contra as elevadas emissões de carbono. Apoiamos o Acordo de Paris e somos signatários da declaração BUSINESS BACKS LOW-CARBON USA (EMPRESAS QUE APOIAM BAIXAS EMISSÕES DE CARBONO NOS E.U.A). Esta declaração exige aos líderes dos E.U.A as seguintes medidas:

1. Continuar a implementação de políticas que apoiem as baixas emissões de carbono

2. Investir numa economia de baixas emissões de carbono.

3. Renovar a participação dos E.U.A no Acordo de Paris

COMPENSAÇÕES

Apesar de reduzir a nossa pegada energética ser uma prioridade, adquirimos, desde 2007, compensações para as emissões de carbono provenientes dos gases com efeitos de estufa que ainda não eliminámos. Estas emissões são resultantes das nossas fábricas nos E.U.A, de deslocações dos nossos colaboradores e viagens de negócios dos nossos sócios da América do Norte. Desde 2010 compensamos as emissões de carbono provenientes do envio de encomendas feitas online nos E.U.A. Graças à nossa parceria com a organização sem fins lucrativos BONNEVILLE ENVIRONMENTAL FOUNDATION (BEF), que gere as nossas compensações, a partir de 2018, vamos compensar as emissões provenientes dos envios de encomendas online em toda a Europa.

Desde 2007, compensámos 100 por cento das emissões das nossas viagens de negócios e deslocações de colaboradores através do programa Conservation Fund’s Go Zero®. O Go Zero compensa as emissões, alavancando as capacidades de absorção de carbono das árvores plantando e protegendo florestas em refúgios nacionais da vida selvagem nos Estados Unidos. De 2008 a 2013, as nossas compensações removeram quase 18 mil toneladas métricas de CO2 através da plantação de aproximadamente 20 mil árvores na região do Baixo Mississippi. Bem perto de nós, preservámos 4 hectares (10 acres) de sequóias da Califórnia que continuarão a captar carbono em vez de serem abatidas.

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) reconheceu as nossas compensações a 100% sobre o nosso consumo de energia nos Estados Unidos com Prémios Green Power Leadership em 2012 e 2013. Sublinhando que a aquisição de energia verde é uma característica integral e importante da estratégia de sustentabilidade da empresa, a EPA elogiou ainda os nossos esforços de educação climática através do programa Hot Planet/Cool Athlete. A EPA também destacou a nossa promoção da utilização de energia verde junto dos clientes através de sinalização nas caixas e nos provadores.

EMISSÕES GEE

Medimos as emissões de gases de efeito estufa das nossas instalações nos EUA para monitorizar os nossos progressos em direção ao nosso objetivo a cinco anos, para 2013, de uma redução de 25% nas emissões normalizadas em relação às vendas. Apesar de grandes investimentos em energia renovável no nosso centro de distribuição, na nossa nova sede na Califórnia e nas melhorias das lojas de retalho, conseguimos uma redução de 21%, logo inferior ao progresso que havíamos previsto. Como os nossos estabelecimentos de retalho são responsáveis por 67 por cento das emissões totais medidas, necessitamos de maiores reduções nessas instalações para alcançar o nosso objetivo. Tal revelou-se difícil nas lojas arrendadas, onde não temos tanto controlo sobre a infraestrutura. Enquanto as emissões por loja diminuíram 5,4%, refletindo uma maior eficiência energética por unidade vendida, essas reduções ficaram aquém das necessárias para o nosso objetivo a cinco anos.

Continuamos a fazer grandes progressos na Europa. Trabalhando com a VF Corporation, a nossa empresa-mãe, desenvolvemos diretrizes de sustentabilidade para as nossas equipas de Imóveis, Construção e Operações de Retalho, que abrangem as nossas instalações na EMEA. As diretrizes foram desenvolvidas na sequência da lista de construção da Leadership in Energy & Environmental Design (LEED) e abordam diferentes áreas, como materiais, energia e gestão de resíduos. A maioria das nossas lojas de retalho utiliza iluminação LED, materiais sustentáveis e de origem local e sensores de luz e movimento. Atualmente, 61% das localizações da VF na Europa funcionam a energia verde.

À medida que avançarmos, continuaremos a explorar novas oportunidades em instalações próprias e nas remodelações do retalho. No entanto, o nosso foco dirige-se cada vez mais para a redução dos impactos na produção, onde ocorrem os nossos maiores impactos.

Hot Planet/Cool Athletes

A Hot Planet/Cool Athletes põe em contacto alunos do ensino básico e secundário com os nossos mensageiros mais influentes, os nossos atletas. Graças a uma parceria com a PROTECT OUR WINTERS os nossos atletas profissionais partilham testemunhos sobre as consequências das alterações climáticas nos desportos que praticam, tornando assim estas questões mais claras para os alunos. Esta apresentação multimédia marcante também oferece ferramentas úteis para combater este problema. Desde 2011, 18 dos nossos atletas como Kit Deslauriers e Jimmy Chin partilharam as suas histórias com 35.000 alunos do ensino básico e secundário norte-americano.